Moqueca de robalo

Moqueca é um prato polêmico. Muita gente reivindica fazer a “autêntica” que pode ser capixaba, baiana, paraense e tantas outras. A que a gente fez não pretende se enquadrar em nenhuma categoria, apenas ser bem gostosa e ter um toque de tudo o que é bom nas moquecas do mundo a fora, sem fundamentalismos. Mas a panela, esta sim, é autêntica capixaba, de barro. Presente generoso da amiga Angelita Corrêa.

Novato na panela de barro capixaba, alerto que é preciso aquecer bem a panela antes de começar a colocar os ingredientes. Mas depois que aquece, a concentração de calor é excepcional. Mas é claro que quem não tem uma moquequeira pode usar outros tipos de panela. Imagino que fique bom numa de ferro, ou mesmo em uma panela comum de fundo grosso.

O preparo da moqueca é simples, mas precisa ter todos os ingredientes cortados previamente, pois entram quase todos ao mesmo tempo no cozimento.

Utilizamos (para quatro pessoas) um filé grande de robalo (cerca de 1kg) cortado em cubos grandes sem o couro, 400g de camarões médios limpos (opcional), duas cebolas cortadas em rodelas, um pimentão verde pequeno cortado em fatias, um pimentão vermelho pequeno cortado em fatias, três dentes de alho, três tomates pequeno em fatias, 100 ml de azeite de dendê, 200 ml de leite de coco, algumas pimentas de biquinho, pimenta  do reino e salsinha picada (os fundamentalistas da moqueca usariam coentro).

Preparo

Na panela bem quente colocamos um fundo generoso de azeite de oliva e as cebolas que, logo que murcharam, ganharam a companhia do alho picadinho. Isto faz uma “cama” onde deitamos os pedaços de robalo que logo cobrimos com os pimentões, depois os camarões, os tomates e as pimentas. Tudo foi regado com o azeite de dendê e com o leite de coco, da forma mais uniforme possível.

Depois é fechar a panela e deixar o fogo fazer a sua parte. Logo os ingredientes vão liberar seus líquidos e amalgamar todos os sabores. O cozimento é rápido: não mais de 20 minutos para que o peixe não desmanche e os camarões não fiquem “borrachudos”. Quem usa a panela de barro tem que ficar alerta que a panela vai permanecer quente por um bom tempo, dando sequência ao cozimento.

Por fim uma generosa porção de salsinha picada (usamos também algumas folhas de manjericão) para dar perfume e mais cor à moqueca.

Servimos com arroz jasmine e batatas assadas com páprica picante. Nem precisa dizer se ficou bom.

Esse post foi publicado em Comidinhas, Receitas e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Moqueca de robalo

  1. Samuel LIma disse:

    Meus amigos Gastão e Soninha,
    O domingão eleitoral foi uma delícia! Além da boa prosa, da cerveja Bohemia bem gelada, esse mararvilhoso prato. Enquanto o aroma inundava a cozinha e sala, eu fazia um som no teu violão Ramirez (de outro mundo o instrumento). Em seguida, a gente mergulhou no DVD do João Bosco (40 anos de carreira), que está genial.
    Mais tarde, veio o café expresso, a preguiça e já estava na hora de começar a acompanhar a cobertura da boca-de-urna, após às 17h. Foi tudo de bom!
    Gratíssimo pela moqueca e o afeto.

    Samuca

  2. Daniel Becher disse:

    Bah, que coisa mais linda! Como sempre eu enchi os olhos com o prato e as fotos. E uma panela de barro é o que há, heim?

    Parabéns mais uma vez, bela receita e belo post!

  3. Amigos, moqueca é um dos pratos mais deliciosos na minha opinião
    Acho que engordei só de olhar a foto maravilhosa
    Dizem que comemos primeiro com os olhos né? kkkkkk
    Parabéns pela receita e pelo blog.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s